SSEX BBOX

SSEX BBOX

[SSEX BBOX] é um projeto de justiça social, lançado em 2011, que procura dar visibilidade às questões de gênero e sexualidade em São Paulo, São Francisco, Berlim e Barcelona, cujo objetivo é fornecer instrumentos para a expansão da consciência, reduzir o isolamento, facilitar a educação, estimular a criação de comunidades e questionar antigos conhecimentos sobre a sexualidade e gênero, focado na temática / população LGBTQIA+.

QUE SEJA CADA VEZ MAIS ELAS POR ELAS

Foi para mostrar uma outra mulher que havia nela que Gal Costa interpretou Divino Maravilhoso no festival de música de 1968. As palavras que buscavam driblar a ditadura, reforçam, ainda hoje, o quanto é preciso estar atento e forte. E que, sim, é preciso ter atenção ao dobrar a esquina, como a própria cantora canta na primeira estrofe da melodia.

Muito antes de Gal gritar aos quatro cantos que não se deve ter medo da morte, mesmo que essa seja uma sombra que anda com inúmeras mulheres, outras tantas operárias tiveram as suas vidas tiradas pelas exaustivas jornadas de trabalho na Nova York do final do século 19. E, foi assim, que começaram a visibilizar a luta travada pelas mulheres, onde dentre as pautas principais estavam o direito ao voto e o fim do trabalho infantil.

Muitas lutas e reivindicações sucederam o ocorrido, mas foi apenas em 1975 que a ONU deu reconhecimento a data e o dia 8 de março foi oficialmente considerado como o Dia Internacional da Mulher.

Revisitar a importância histórica deste dia é quebrar com o apelo comercial que, por muitos anos esteve à frente das reais questões ligadas ao Dia da Mulher. Assim, saem de cena os presentes, e as reivindicações retomam o protagonismo que nunca deveria ter lhe faltado.

Hoje, em março de 2019, onde a canção interpretada por Gal ainda faz sentido e se faz presente, é preciso entender, questionar e fortalecer a luta das mulheres por respeito e igualdade. Entender a importância da representatividade e o quanto é perigoso o silenciamento.

Ser mulher em uma sociedade machista e patriarcal é uma luta constante por voz. Por isso, é importante sempre lembrar que lugar de fala faz a diferença e, com ele, o futuro não demora. Futuro esse que é feminino, graças a Deusa!